Investimento

Quanto Custa o Investimento em Energia Solar 

Você já deve ter lido sobre a possibilidade de gerar a própria energia, através de um sistema solar fotovoltaico.

Além de cumprir as determinações da resolução normativa da Aneel, os fabricantes de energia solar fotovoltaica devem submeter compulsoriamente seus produtos a laboratórios acreditados pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), que classifica os painéis fotovoltaicos quanto à eficiência na geração de energia.

Adequação do Imóvel

No entanto, imóveis que possuem sistema de energia solar fotovoltaica ficam livres dessas alterações já que, de acordo com sistema de compensação em vigor no Brasil, cada quilowatt gerado equivale a um quilowatt consumido, independente do valor final da tarifa.

Sabendo a quantidade de painéis necessários e verificando padrão da rede elétrica, projetamos sistema, definindo tipo e número de inversores (responsáveis por transformar a energia em corrente alternada, 110 V ou 220 V), além de determinar tipo de estrutura para fixação, cabeamento e proteções elétricas.

Motivador Brasileiro

Grande motivador da intensa difusão da geração fotovoltaica distribuída no Brasil não é simplesmente aspecto sustentável, mas principalmente fato de que a tecnologia mostra-se como uma excelente opção de investimento financeiro a longo prazo devido às condições naturais (alta irradiação solar) e mercadológicas (alto custo da energia) nacionais.

A energia fotovoltaica é uma das maiores tendências em produção de energia do mundo, com potencial de crescimento que se reforça cada vez mais com passar dos anos.

Os dados, divulgados no dia 30 de outubro pela Absolar, Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), colocam país entre os 30 principais geradores da energia – China, Japão, Alemanha, Estados Unidos e Itália lideram atualmente ranking, com a fatia de quase 60% da produção mundial.

Segundo a Envo, braço da CPFL Energia para a geração de energia solar para residências e clientes comerciais e industriais de pequeno porte, desde dezembro de 2012, quando a micro e mini geração distribuída foi regulamentada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), valor do investimento inicial já caiu entre 15% e 20% e hoje está na faixa de R$ 15 mil a R$ 20 mil, dependendo do porte do projeto a ser instalado na unidade consumidora do cliente.

As informações levantadas pela pesquisa sobre período de duração dos investimentos anunciados em 2017 mostram que eles são de curto e médio prazos, assim, US$ 4,9 bilhões (60,7% do total) foram recém-concluídos ou têm previsão de término até 2018 e outros US$ 3,1 bilhões (38,6%) deverão ser finalizados no período 2019- 2021.

São Paulo Pode Recuperar Capacidade de Investimento Até 2019

A resolução da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) que criou Sistema de Compensação de Energia Elétrica, permitindo que consumidor instale pequenos geradores (tais como painéis solares fotovoltaicos e microturbinas eólicas, entre outros) em sua unidade consumidora e troque energia com a distribuidora local com objetivo de reduzir valor da sua fatura de energia elétrica permitiu que empresários e consumidores em geral investissem em fontes de energia limpa.

Com sistema integrado à rede, os painéis geram a energia necessária para abastecer todo consumo e, dependendo da capacidade, podem até mesmo gerar energia extra , que retorna para a concessionária e se converte em créditos para abater contas futuras.

Redução no Consumo e Economia

A estimava que a redução do consumo possa chegar a até 95% do valor total da fatura de energia, uma vez que alguns custos não têm como ser extintos, conforme regulamentação da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel): impostos, taxas de iluminação pública e outras tarifas não somem da fatura.

Vamos considerar mesmo sistema fotovoltaico e tarifa utilizados no artigo Energia Solar: instalar agora ou esperar preço cair ?”, portanto um sistema que custa cerca de R$ 25.000,00 e gera cerca de 500 kWh/mês, sendo valor da tarifa cobrada pela concessionária R$ 0,83/kWh.

Com objetivo de reduzir os custos e tempo para a conexão da micro e minigeração, compatibilizar Sistema de Compensação de Energia Elétrica, aumentar número de consumidores e melhorar as informações na fatura, a ANEEL publicou a Resolução Normativa 687/2015.

Se você quer efetivamente gerar energia elétrica, é necessário considerar consumo de eletricidade de sua residência, e quantas placas fotovoltaicas serão necessárias para suprir este consumo, considerando tempo médio de sol que você recebe durante mês no local de instalação.

Conheça nosso Curso de Energia Solar e aprenda a instalar você mesmo seu sistema fotovoltaico.